Lifestyle, Por aí

Minhas férias em São Paulo

17 de julho de 2017
São Paulo - Férias em São Paulo

Finalmente, depois de 2 anos consegui tirar alguns dias para passar as férias em São Paulo e passar um tempinho com a família. Pra quem não sabe, eu moro em Horizontina, mas nasci em Sampa e vivi a maior parte da minha vida por lá. E apesar de já ter me acostumado bem com o ritmo de vida diferente e tranquilo do interior, às vezes tenho saudade do agito da minha cidade natal, então sempre que dá amo poder viajar pra lá!

Saí de Horizontina na noite do dia 19 de maio e cheguei em sp por volta das 10h do dia 20 – é, é longe pra caramba! Fui mega animada pra fazer um montão de coisas e aproveitar a cidade o máximo que eu pudesse, maaas sqn né gente! haha.. O Eduardo ficou em casa, meu irmão trabalha em horários complicados e minha mãe não tem lá muito ânimo pra essas coisas e daí, por falta de companhia mesmo eu não fiz muito do que esperava.

E se tem uma coisa que agora tenho certeza é que não faço o tipo blogueira, tirando um montão de fotos e selfies por tudo que é canto. E não me entenda mal, eu até gostaria de ser mais assim, mas mesmo levando a câmera na viagem, fiquei um pouco insegura de sair sozinha com aquele trambolho na rua. Pra piorar, a câmera do celular não é das melhores, e eu realmente acabava me esquecendo de tirar ele da bolsa pra fotografar – um zero à esquerda!

Alguns dos itens que consegui riscar da minha lista de coisas pra fazer em sp foram ir no Masp, ir em algumas lojas de material de arte e na rua 25 de março para algumas comprinhas, cinema e um pulo no Mercado Municipal para um pastel de bacalhau maravilhoso. Aliás, comi um montão, principalmente em fast food já que em Horizotina não tem nada disso! haha

O acervo do Masp é maravilhoso. Van gogh, Picasso, Lasar Segall, Portinari, Cézanne, Modigliani, são só alguns dos artistas com obras que compõem o acervo. Passei quase 2 horas observando e admirando cada tela. Pra mim, que trabalho com criatividade, é mais do que importante manter a mente abastecida e inspirada.

Acho que de tudo o que vi por lá, as obras que mais me encataram foram Nossa Senhora dos Remédios, Interior de Indigentes (abaixo), Monsieur Fourcade e Criança Morta (postais abaixo). Essa última, de Portinari, foi a mais impactante de todas, eu passava corredor por corredor, mas não conseguia tirar os olhos dessa tela incrível. É uma pena que as fotos não consigam captar a realidade dessas obras, por isso fica aqui o convite para quem tiver a oportunidade, não deixe de ir até o Masp e ver com os próprios olhos. Garanto que vale muito a pena! Aliás, às terças-feiras a entrada é gratuita!

À esquerda: Nossa Senhora dos Remédios, séc. 17, Artista cusquenho. À direita: Interior de Indigentes, 1920, Lasar Segall.

Postais que comprei na loja do museu, com as obras de Touluse-Lautrec e Portinari.

Livraria Cultura do Conjunto Nacional.

Mercado Municipal de São Paulo

É claro que, o melhor e mais importante de tudo isso foi poder passar a maior parte do tempo pra matar a saudade da família e do Lucky, meu cachorro, e foi ótimo poder ficar em casa devorando o catálogo da Netflix com a mãe e um monte de comidinhas gostosas pra acompanhar!

Por fim, cheguei de volta em Horizontina no dia 12 de junho. Cansada pela viagem longa, feliz por estar de volta com o Eduardo, empolgada pra voltar pro trabalho, mas triste por não saber quando verei a família de novo. E essa sempre foi a pior parte desde que me mudei. Mas sei que a vida é feita de escolhas e acredito que vai chegar o dia em que estaremos mais perto de novo!

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

No Comments

Leave a Reply